domingo, 21 de dezembro de 2014

Twilight and Stars




Silêncio e Tempestades



Fast Poetry
(escrito em uma manhã amena de sexta-feira)




AFETOS SUTIS E DESTEMIDOS,
TÃO GRANDES QUE NÃO ESTÃO NA SUPERFÍCIE

PAIXÃO TÃO DELICADA E TEIMOSA QUE CADA PALAVRA É UM BEIJO SINCERO
E CADA BEIJO É UM POEMA NÃO ESCRITO

ENCANTAMENTO TÃO PURO QUE CADA HESITAÇÃO É UMA DECLARAÇÃO

E O AMOR É O SILÊNCIO DAS TEMPESTADES

sábado, 6 de dezembro de 2014

Status: Observando - Crítica



Escrever sobre algo que é fruto de paixão amadora(no melhor sentido da palavra) é sempre difícil. É fácil apontar erros e problemas característicos de um primeiro trabalho e realmente eles existem aqui (e não vou deter-me a analisá-los), mas para mim este curta é uma peça de aprendizado. Uma demonstração de jovens lutando com suas limitações e as do meio e fazendo sempre o melhor possível. 

Sim, às vezes há uma certa crueza própria dos iniciantes, mas também há a paixão e entrega que de alguma forma vazam para o resultado. Foi assim que tentei assistir a este curta. Apreciando os erros e os enganos. Aí pude perceber a atuação apaixonada do protagonista. Um ou outro corte inventivo, a busca por colocar sentimentos sinceros nas imagens.

No final o resultado é eficiente dentro do que se propõe. Eu sempre tendo a ver mais e embora a principio pareça uma história de amor, na verdade soou como algo bem mais sombrio. Um conto perturbador sobre obsessão. Está aí algo que eu gostaria de ver explorado mais: esta história como um thriller. Mas os realizadores, como todo seu ímpeto e inexperiência alcançaram um resultado interessante.  

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Status: Observando - O Curta


Publicação by Cristina Kino.

Escrever sobre algo que é fruto de paixão amadora(no melhor sentido da palavra) é sempre difícil. É fácil apontar erros e problemas característicos de um primeiro trabalho e realmente eles existem aqui (e não deter-me a analisá-los), mas para mim este curta é uma peça de aprendizado. Uma demostração de jovens lutando com suas limitações e as do meio e fazendo sempre o melhor possível. 

Sim, às vezes há uma certa crueza própria dos iniciantes, mas também há a paixão e entrega que de alguma forma vazam para o resultado. Foi assim que tentei assistir a este curta. Apreciando os erros e os enganos. Aí pude perceber a atuação apaixonada do protagonista. Um ou outro corte inventivo, a busca por colocar sentimentos sinceros nas imagens.

No final o resultado é eficiente dentro do que se propõe. Eu sempre tendo a ver mais e embora a principio pareça uma história de amor, na verdade soou como algo bem mais sombrio. Um conto perturbador sobre obsessão. Está aí algo que eu gostaria de ver explorado mais: esta história como um thriller. Mas os realizadores, como todo seu impeto e inexperiência alcançaram um resultado interessante.  

Os diretores

domingo, 30 de novembro de 2014

Status: Observando

sábado, 12 de julho de 2014

A Garota e o Vento

A garota que amava o vento sentou-se na varanda.

Ela sentiu a brisa terna em seu rosto. O vento acariciou sua pele suave e doce. E partiu.

O vento varreu o mundo. Procurou aquela doçura nos quatro cantos, passou por lugares escuros e luminosos, mas nunca encontrou luz como a daqueles olhos castanhos. Ele nunca encontrou noite mais mágica como a daqueles cabelos.

O vento voltou para reencontrar a garota que o amava.

Ela riu saborosamente e o vento espalhou a música daquela risada pelos corações das pessoas.

O vento cantava suave e apaixonadamente para ela uma canção que agitava as folhas das árvores.

Embora não faltassem pretendentes, ela não podia esquecer a canção do vento e longe dela a canção do vento era triste e distante. Certa noite ela seguiu a canção triste do vento.

Não se soube mais dela desde então. Mais naquelas paragens os moradores juram ouvir dois ventos cantarem juntos e nas noites de brisa morna ouve-se uma canção alegre e a música de uma risada doce toma o vento e os corações das pessoas.


quinta-feira, 1 de maio de 2014

Consolação



Ele ainda anseia pelos atrasos dela
Ele ainda lembra das risadas

O Impossível não é vazio,
mas pleno
As memórias são infinitos azuis

O gosto doce que ela derramou em sua vida,
ainda dança na boca dele

E parado na plataforma daquela estação de metrô,
ele ainda sorri com estes fragmentos

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

IMPERCEPTÍVEL

Fast poetry
(Escrito em uma manhã morna de quinta-feira)

ELE PARTIU EM SILÊNCIO,
COM UM ADEUS SUSSURRADO
TINHA CERTEZA QUE ELA NÃO NOTARIA SUA AUSÊNCIA
DE VEZ EM QUANDO SONHAVA QUE ELA PENSAVA NELE
MAS SABIA QUE ERA MENTIRA,
MESMO ANTES DE ACORDAR

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

NÃO

ELE RASGOU OS LIVROS DE POESIA 
SILENCIOU AS CANÇÕES 
DESISTIU DOS FILMES

ELE QUERIA DESLIGAR O CORAÇÃO 
QUERIA EXISTIR NO VAZIO SILENCIOSO DE NÃO SENTIR

SENTIR ERA CARREGÁ-LA NO PEITO
SENTIR ERA DESEJAR A PROXIMIDADE PERFUMADA DELA

ELE PAROU POR UM INSTANTE,
NAQUELE MUNDO SILENCIOSO E TRISTE

SEM POEMAS
SEM CANÇÕES
SEM FILMES
SEM ELA

E CHOROU PARA SI MESMO